Home » Crônica da Semana » Mensalão: Brasil só aceita Medalha de Ouro

Mensalão: Brasil só aceita Medalha de Ouro

por Anna Ramalhoanna-ramalho-jornalista


Deve ser defeito de fábrica, mas, francamente, não me ligo fanaticamente aos esportes, como a maioria dos brasileiros. Torço pelo Fluzão desde sempre – e herdei o clube de família, não foi uma opção – visto a camisa verde-amarela nas Copas do Mundo sem entender até hoje o que é um impedimento, assisto um ou outro jogo de vôlei, mas confesso que não tô nem aí para o remo, mal sei o que é handebol e acabei rindo com a desclassificação no tiro ao alvo. Tiro ao alvo? Temos todos os dias com a nossa polícia e com a bandidagem que, muitas vezes, erra o alvo e atinge inocentes.

Para atiçar ainda mais a implicância, tenho que entubar os anunciados Jogos Olímpicos de 2016 e já vi e li muita trampolinagem envolvendo os cartolas daqui e d’ailleurs. Nem quero imaginar o que há por debaixo desses panos. Abafa!!! Alguém conhece cartola pobre? Abafa!!!!

Vai daí, pairo qual uma imbecil quando topo com pessoas debatendo o desempenho do Phelps, a desclassificação dos nossos irmãos Hyppolito, os brilharecos do Cielo na piscina olímpica. É coisa que não me mobiliza, mas, creiam, torço para que o Brasil faça bonito. Nessas horas, sempre me baixa o espírito olímpico, podem crer. Apesar dos cartolas.

***

Em compensação, estou atenta e forte para o jogo que se joga agora no Planalto Central. Tremo de medo de sentir no ar o cheiro da muzzarela assando, molho de tomate e massa por baixo, orégano por cima. Pizza. Sabor Zé Dirceu, Delúbio, Valério, Duda Mendonça. Qualquer sabor de pizza  é possível quando o pizzaiolo é o criminalista e ex-ministro Márcio Thomaz Bastos. Salta aí uma calabresa com cebola!!!! Escrevo na quinta-feira, dia do início dos trabalhos, e leio na rede que Lula da Silva já avisou que não vai assistir ao julgamento. Não me espanta. Ele já não disse que tudo é armação? Sarney ( sempre ele!!!)  sobe em cima do muro – ele que até hoje, sabe lá Deus como, eterniza-se no poder, sem sustos ou cortes especiais, apesar dos malfeitos da família.

Percebo nas redes sociais o mesmo temor que eu sinto. Como podemos acreditar numa corte – a mais alta do país – em que praticamente todos os membros foram nomeados por Lula?  Façam o que fizerem, até o fim de seus dias, perceberão aqueles salários altíssimos e gozarão das regalias – e liturgias – do importante cargo. O jovem Dias Toffoli não me deixa mentir. Até renegar a mulher ele renegou pra marcar uma presença tão discutida em plenário. A mulher foi rebaixada a namorada, quase ficante. É muita pouca vergonha!

Estou muito preocupada com o desenrolar dessa novela de muitos e emocionantes capítulos. Mais do que nunca espero que Deus seja mesmo brasileiro. A essa altura do campenato, só mesmo a intercessão divina para termos o prazer de ver a turma no xilindró. Oremos, pois.

***

Hoje o que realmente me conforta é saber que neste sábado, 4,  estarei na plateia da diva maior da MPB, Maria Bethânia, que cantará apenas músicas do “divo” maior Chico Buarque de Holanda. Um feito e tanto, já que muita gente boa ficou de fora da noite única com que nos brindará Abelha-Rainha no Vivo Rio.

Deus é Pai! Na companhia desses dois, encaro qualquer coisa. Até voto do Gilmar Mendes.

Para aliviar a tensão que o STF nos impõe, Chico e Bethânia no nosso cantinho musical. Um must!

 



Anna Ramalho é colunista do Jornal do Brasil, criadora e editora do site www.annaramalho.com.br e cronista sempre que pode.

Share
Topo